Skip to content

Melhores Livros de Sigmund Freud

Sigmund Freud (1856-1939) foi um médico neurologista e importante psicanalista austríaco.

Foi considerado o pai da psicanálise, cujos fundamento teóricos e aplicação prática tornaram-se fonte para a compreensão do psiquismo humano e influenciaram a arte, a literatura e outros campos do conhecimento.

Conteúdo:

    Melhores Livros de Sigmund Freud

    Melhores livros de Sigmund Freud

    Neste post separamos o que consideramos os 6 melhores livros de Sigmund Freud para você começar a estudar as obras desse grande nome da psicanálise.

    Freud (1901-1905) – Obras completas Volume 6: Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria (“O caso Dora” ) e outros textos

    Este sexto volume das obras completas de Freud traz textos fundamentais para o entendimento da psicanálise, como Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, que recorre a sexólogos contemporâneos do psicanalista e às observações feitas a partir de seus pacientes para enfatizar a centralidade do sexo na vida humana.

    Tratando das aberrações sexuais, da sexualidade infantil e adulta, Freud amplia e reformula o conceito de sexualidade.

    Outro grande texto deste volume é “O caso Dora”, primeiro dos cinco casos clínicos mais importantes de Freud.

    Interpretando dois sonhos de “Dora”, ele procura desvendar seus sintomas histéricos e sua correlação com a recusa do sexo.

    O Chiste e sua Relação com o Inconsciente (Freud Essencial)

    A obra: Os Chistes e Sua Relação com o Inconsciente foi publicada por Sigmund Freud em 1905 e analisa o humor do ponto de vista psíquico.

    Freud demonstra que os chistes (piadas) têm a mesma função e origem que os sintomas neuróticos, os sonhos e os atos falhos. Ou seja, o chiste é também uma forma de expressão do inconsciente.

    Assim, as piadas, principalmente as tendenciosas, serviriam como uma forma de liberar determinados pensamentos inibidos.

    Também as manifestações de preconceito, cada vez mais reprimidas na sociedade, encontrariam nos chistes uma forma indireta de serem trazidas a tona.

    Como todos textos de Freud, Os Chistes e sua Relação com o Inconsciente aborda um tema plenamente atual, afinal de contas, a essência do homem não se modificou, apenas se tornou mais conhecida e vigiada.

    Freud (1923-1925) – Obras completas volume 16: O Eu e o Id, “Autobiografia” e outros textos

    O volume 16 contém os textos publicados por Freud entre 1923 e 1925, dos quais se destaca O Eu e o Id, um de seus principais trabalhos teóricos, no qual faz a mais detalhada exposição da estrutura e do funcionamento da psique, lançando a hipótese de que ela se dividiria em três partes: Id, Eu (ou “ego”) e Super-eu (ou “superego”).

    O segundo texto, “Autobiografia”, contém, na verdade, poucas informações pessoais.

    É um relato do desenvolvimento intelectual do autor e de suas contribuições para o surgimento e a elaboração da psicanálise.

    Ensaios de menor extensão incluídos no volume, mas bastante influentes, são, entre outros, “A dissolução do complexo de Édipo” e “A negação”.

    O mal-estar na civilização

    Desconto Encontrado

    Escrito às vésperas do colapso da Bolsa de Valores de Nova York (1929) e publicado em Viena no ano seguinte, O mal-estar na civilização é uma penetrante investigação sobre as origens da infelicidade, sobre o conflito entre indivíduo e sociedade e suas diferentes configurações na vida civilizada.

    Este clássico da antropologia e da sociologia também constitui, nas palavras do historiador Peter Gay, “uma teoria psicanalítica da política”.

    Na tradução de Paulo César de Souza, que preserva a exatidão conceitual e toda a dimensão literária da prosa do criador da psicanálise, o livro proporciona um verdadeiro mergulho na teoria freudiana da cultura, segundo a qual civilização e sexualidade coexistem de modo sempre conflituoso.

    A partir dos fundamentos biológicos da libido e da agressividade, Freud demonstra que a repressão e a sublimação dos instintos sexuais, bem como sua canalização para o mundo do trabalho, constituem as principais causas das doenças psíquicas de nossa época.

    Freud (1900) – Obras completas volume 4: A interpretação dos sonhos

    A primeira edição de A interpretação dos sonhos foi lançada no final de 1899 (com data de 1900) numa tiragem de apenas seiscentos exemplares, que levaram oito anos para serem vendidos.

    Mais de um século depois, ele se tornou um dos livros mais influentes da época moderna, com incontáveis edições em dezenas de línguas.

    O livro se divide em sete grandes capítulos.

    No primeiro, Freud passa em revista toda a bibliografia sobre o tema, desde a Antiguidade.

    O segundo traz seu método de interpretação, com o exemplo do “sonho da injeção de Irma”.

    Analisando quase 50 sonhos próprios e centenas de sonhos relatados na literatura, Freud chega à conclusão de que o sonho é realização disfarçada de um desejo reprimido, muitas vezes de origem infantil.

    Isso constitui o tema dos três capítulos seguintes do livro.

    Já o capítulo 6 estuda os mecanismos que o “trabalho do sonho” utiliza para disfarçar ou deformar o desejo: a condensação e o deslocamento do material.

    Também as formas de representação com símbolos são abordadas.

    O último capítulo, o mais teórico, expõe a psicologia dos processos oníricos.

    Cinco Lições de Psicanálise (1910) – Freud

    Desconto Encontrado

    Em setembro de 1909, Sigmund Freud concedeu uma série de palestras nos Estados Unidos, em Massachusetts, sobre suas teorias de psicanálise.

    Seu objetivo era demonstrar para a classe não médica, por meio da exposição de casos clínicos, a eficácia de suas técnicas na cura dos “males do espírito”.

    Essas conferências foram publicadas em 1910 na obra “Cinco lições de psicanálise“.

    Este livro, dividido em cinco partes, traz a história e os fundamentos de uma nova disciplina médica voltada ao tratamento mental.

    Em sua primeira lição, Freud relata o estudo do médico Joseph Breuer a respeito de uma jovem que apresentava um quadro de histeria.

    Até então, pacientes com complicações que não podiam ser detectadas por um exame objetivo eram colocados em segundo plano pela medicina.

    A nova abordagem demonstrada por Freud por meio desse tratamento e nas demais lições da obra constituiu uma revolução nos cuidados de muitos pacientes.

    Este é o registro do surgimento de novas ideias médicas que auxiliam milhões de pessoas até hoje por meio da psicanálise.

     

    Última atualização em 2024-04-16 / Links afiliados / Imagens da API de publicidade de produtos da Amazon