Skip to content

O Romance de Perón

Juan Domingo Perón foi um político argentino que exerceu um papel significativo na história política do país e teve um impacto duradouro na Argentina do século XX.

Ele nasceu em 1895, em Lobos, província de Buenos Aires, Argentina, e faleceu em 1974.

A sua carreira política foi marcada por diferentes períodos de liderança e influência, além de controvérsias.

Perón ingressou no exército argentino e, ao longo da sua carreira militar, ganhou destaque na década de 1940.

Ele ocupou cargos no governo de diversos presidentes, ganhando experiência em assuntos trabalhistas e sociais.

Em 1943, participou de um golpe militar que derrubou o governo do presidente Ramón Castillo e, em 1946, foi eleito presidente da Argentina.

Durante o seu primeiro mandato presidencial (1946-1952), Perón promoveu políticas econômicas e sociais que beneficiaram os trabalhadores e a classe trabalhadora.

Ele instituiu direitos trabalhistas, como o pagamento de bônus salarial e aposentadorias, e estabeleceu uma série de programas de assistência social.

A sua esposa, Eva Perón, conhecida como “Evita”, desempenhou um papel ativo no apoio a essas políticas e na promoção do seu legado.

Apesar do apoio fervoroso de muitos argentinos, o governo de Perón também foi marcado por autoritarismo, censura e perseguição política.

Ele foi deposto por um golpe militar em 1955 e passou vários anos no exílio na Espanha. No entanto, ele retornou à Argentina em 1973 e foi novamente eleito presidente, servindo até a sua morte em 1974.

O peronismo, o movimento político associado a Juan Domingo Perón, continuou a desempenhar um papel importante na política argentina após a sua morte.

A ideologia do peronismo é caracterizada por uma mistura de populismo, nacionalismo e justiça social.

O peronismo também foi uma força influente em várias eleições presidenciais argentinas, e vários presidentes subsequentes foram associados a esse movimento.

O legado de Perón é complexo, e sua influência na Argentina perdura até os dias atuais.

Ele é lembrado tanto por suas políticas sociais progressistas quanto por seu estilo autoritário, e sua figura continua a gerar debates e divisões na política argentina.

Conteúdo:

    O Romance de Perón

    o-romance-de-peron-1200x628.jpg

    Desconto Encontrado

    Qual o limite para as encenações do poder? Até que ponto seus atores podem distorcer o presente, falsear o passado e maquinar o futuro?

    Se essas perguntas soam eternas e universais, são mais pertinentes ainda quando se fala do populismo na América Latina.

    E, nesse palco, uma figura parece imbatível: o caudilho argentino Juan Domingo Perón.

    Nesta obra inquietante, Tomáz Eloy Martinez encarou o desafio de iluminar a face obscura de Péron e desvendar o homem oculto por trás da máscara de estadista.

    O “General” é mostrado aqui na intimidade de seus últimos tempos de exílio, urdindo as próprias memórias ao lado de seu sinistro secretário, o “Bruxo” José Lopez Rega, futura eminência parda da cúpula peronista.

    A partir do episódio do “massacre de Ezeiza”, a batalha campal entre facções peronistas que aguardavam o ex-presidente no aeroporto, Martinez põe a circular um elenco de heróis inesquecíveis que vão do patético ao cômico, do grotesco ao sublime.

    Enquanto se batem numa epopéia absurda, cada qual vai apresentando uma versão dos fatos, uma visão da história, cifrando e decifrando aos olhos do leitor essa grande esfinge chamada Perón.

    https://www.youtube.com/watch?v=vY_YAteTaBM

    Última atualização em 2024-04-16 / Links afiliados / Imagens da API de publicidade de produtos da Amazon